logotipo-oficial-lousa-granfondo-licor-beirao
logo-bandeira-portugues
logo-bandeira-espanhol
logo-bandeira-ingles
19 de Maio de 2019
19 de Maio de 2019
Ir para o conteúdo

Aldeias de Xisto

Lousã Granfondo > Lousã
Candal
Na bacia hidrográfica da Ribeira de S. João encaixa, entre outros, este anfiteatro onde se alojou o Candal e a sua ribeira. Está aninhada na Serra da Lousã, numa colina voltada a Sul. Estrategicamente colocada junto à Estrada Nacional, que liga Lousã a Castanheira de Pera, esta aldeia está habituada a receber visitantes. Estes são recompensados por subir as suas ruas inclinadas pois, chegados ao miradouro, uma belíssima vista sobre o vale se apresenta, refrescada pela Ribeira do Candal. E quando voltam a descer, a Loja Aldeias do Xisto aguarda-os.

Beneficiado pela acessibilidade privilegiada que lhe proporciona a Estrada Nacional, Candal é muitas vezes considerada a mais desenvolvida das aldeias serranas e uma das mais visitadas. Aos seus habitantes de sempre é comum juntarem-se ocupantes de férias e fins-de-semana que aqui acorrem em busca de ar puro e boa companhia.
Casal Novo
casal novo
À passagem pelo estradão, quase que nos escapa a presença do Casal Novo. A aldeia desenvolve-se na dobra da encosta, em declive acentuado, orientando-se a Norte, e a envolvente arbórea da aldeia não permite perceber o seu perfil.

A malha urbana corresponde, quase exclusivamente ao eixo criado pelo caminho que atravessa a aldeia no sentido ascendente-descendente, e que a liga ao Santuário de Nª Srª da Piedade. Duas ou três vielas perpendiculares, e umas quantas entradas laterais em espaços de fruição pública, quebram o contínuo de construções que, de um e do outro lado, se encavalitam.

Da eira da aldeia pode observar-se a Lousã e o seu castelo.
Chiqueiro
Apenas um casal de habitantes e o seu numeroso rebanho parecem contrariar a sensação de que aqui o tempo parou há muito.

A aldeia é delimitada por duas pequenas linhas de água e dissimulada pela frondosa vegetação que a envolve. Possui malha urbana simples, basicamente organizada por duas ruelas íngremes ladeadas pelo casario. O material de construção predominante é um xisto escuro, de aparelho tosco e, à exceção da capela, nenhum outro edifício é rebocado.

A envolvente florestal e a fauna que a povoa tornam-na num ponto de partida de eleição para caminhadas
Talasnal
Está é, desde há muito, a Aldeia do Xisto da Serra da Lousã que tem dado mais visibilidade e carisma ao conjunto. Pela sua dimensão e disposição, mas também pelos muitos pormenores das recuperações das suas casas. E também pela forma como a aldeia nos seduz pela boca.

A fonte e o tanque emitem a melodia que acompanha a nossa visita. As casas decoram-se com os ramos das videiras.

A ruela principal acompanha o declive da encosta, num percurso íngreme. Dela derivam quelhas e becos, que criam um ambiente de descoberta que todos gostam de explorar à espera da surpresa de um novo recanto.
Cerdeira
Ao entrarmos na Cerdeira, descendo até ao pequeno regato, deparamos com o perfil desalinhado das construções. O tom dominante do xisto sobrepõe-se ao verde das encostas, ao azul do céu ou ao branco das nuvens.

Os habitantes desta e de outras aldeias deverão ter frequentado a universidade da serra. Os edifícios foram implantados sobre um morro rochoso, não ocupando as escassas áreas mais planas que dedicaram à agricultura. Uma obra de engenharia rodeou a aldeia com uma escadaria de socalcos que seguram a terra que as chuvas e a erosão levavam encosta abaixo. A implantação e a arquitetura das construções parece que obedeceu a um plano que teve como objetivo maravilhar os visitantes no séc. XXI.
TELEFONE
919 882 683
__________________________
EMAIL:
geral@granfondosragraca.com
TELEFONE
919 882 683
__________________________
EMAIL:
geral@lousagranfondo.com
newsletter-lousa-granfondo
Voltar para o conteúdo